domingo, janeiro 21, 2007

Idéias

Idéias não são metais que se fundem” (Borges de Medeiros, político gaúcho)

Muitas pessoas se prendem a convicções e dogmas, e simplesmente não aceitam mudar de opinião, às vezes nem conhecer outras idéias. Trancam-se em um mundo próprio, repleto de preconceitos e crenças sólidas, por medo ou insegurança. Sim, pois mudança exige coragem: mudar de emprego, de cidade, de namorada. Ou simplesmente mudar o corte de cabelo; mas é preciso estar preparado para as conseqüências que qualquer mudança traz para sua vida.

Se a gente não se adaptar às constantes mudanças da vida, nossa existência perde o sentido. Adaptar-se não é perder o caráter e a individualidade, mas sim reforçá-los. Adaptar-se é diferente de aderir, de se vender. Tudo na vida é evolução; quem não evolui perde a parada. Desde as girafas que esticaram seus pescoços para alcançar os brotos nas copas das acácias até certas orquídeas que desabrocham em forma de insetos para atrair seus polinizadores.

Evoluir é preciso para se continuar a viver; o frio na barriga, a expectativa do que vai acontecer, tudo isso faz o encanto das mudanças.

Quem não muda vai terminar seus dias casmurro numa casa escura, vivendo com seus próprios fantasmas. E convenhamos: não deve ser nada agradável conviver com fantasmas, ainda mais quando eles são só espectros de nossas próprias mazelas.

Pensem nisso e Boa Semana!!!

6 comentários:

Ana Ramon disse...

É isso mesmo Ricardo. A minha opinião é que a vida é um permanente evoluir mesmo naquelas pessoas que pensamos terem estagnado. Todos mudamos para melhor ou para pior conforme a adaptação que escolhemos. E são estas opções que nos fazem tão diferentes. Um abraço

Dione Morandini disse...

Vou puxar a ponta da história pr´as mudanças mais dolorosas, já que com algumas delas sempre somos mais relutantes. As que são mais caras sempre doem mais. Mas, como disse aquele cara, "tudo é dor e toda dor vem do desejo de não sentirmos dor". Enfrentar a dor e os desafios de uma mudança, feito um viking em berseker, é solução pra quem não as pode enfrentar sereno. Mas há dias em que serenidade e fúria também nos escapam... O humano é muitas vezes aquém do poético. É um belo post, desses de dar vontade de se encher de fúria ou de serenidade. :)

[Off] É bem comum eu sumir. Às vezes volto. Blog é um lugar onde eu venho passear de vez em quando, pra assoviar ou reclamar algo pra mim mesma. Às vezes alguém lê e fico feliz quando é uma visita como a tua, de alguém que tb apareceu pra assoviar, de passagem, como quem não quer nada e concorda, discorda ou só se faz presente.
Ah, admirei-me de ver o meu modestíssimo projeto de blog listado entre outros tantos, aí do lado. Gentileza sua. Fico lisonjeada e retribuo.

Kandy disse...

Que venham as mudanças, para nos adaptarmos e evoluirmos. (Mas, curiosda que eu sou, o que te motivou a escrever sobre isso? Quais serão as mudanças que você provocará na sua vida, no seu mundo, no seu pensamento... no seu cabelo?!) Bjos!

Luana - agente de viagens disse...

Adaptar-se, ser flexivel, convencional: ainda é o ponto de partida para todo o sucesso.
Afinal: que não arrisca, não petisca. Para viver um grande amor, é preciso correr grandes riscos.
Bjo

Paty disse...

Realmente mudar e evoluir é preciso, apesar dos pesares da vida. Sei bem o que é mudar, e mais ainda sobre mudar de forma inesperada. O mais importante é que toda mudança nos torna mais corajosos, independente do resultado. Bjinhos.

Anônimo disse...

“Idéias não são metais que se fundem”

Essa frase é de Gaspar da Silveira Martins, e não de Borges de Medeiros.

http://www.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a1694614.xml&template=3898.dwt&edition=8884§ion=101

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gaspar_da_Silveira_Martins