terça-feira, setembro 02, 2008

Incrível

Já vi muita coisa nessa vida, mas uma relação tão bonita e confiante como a desse filminho, jamais: um menininho de seus dois anos e pico, talvez, e um enorme e pachorrento labrador convivem mais que pacificamente - a palavra é amorosamente.

Num mundo em que pais matam filhos, é reconfortante ver que o instinto se sobrepõe à normas morais ou arquétipos do que é família.

Família é mesmo o instinto de preservação ancestral.

Três minutinhos só, vale a pena.


Um comentário:

Leticia disse...

Às vezes é melhor um cachorro. Aqui na rua ao lado, pegado ao prédio, tem o Léo, um labrador igualzinho a esse. Ele fica atrás do portão, e eu e Periquito, quando passamos lá, é um chamego só, de parte a parte.