segunda-feira, outubro 29, 2007

Torres gêmeas

A fotografia ao lado foi tirada há exatamente um mês, na entrada da Fnac da avenida Paulista. A idéia é da Letícia, eu só usei a minha máquina.


Bem, e o que mais, estão os ilustres leitores a perguntar. Claro, eu nunca dou ponto sem nó, afinal, quem dá ponto sem nó não dá um só, ouço dizer a voz longínqua de minha bisavó Anna.


É que essa imagem me fez pensar sobre o real e o imaginário, o que vemos e o que refletimos. No lado esquerdo está a torre de verdade e, no outro, o seu reflexo. Até que ponto o reflexo é fiel ao original? Olhando com atenção fica fácil ver as diferenças, as pequenas mudanças que ocorrem entre o mundo e o espelho.


Assim nossas idéias sobre coisas e gentes; vemos e refletimos de acordo com nossos próprios espelhos, alguns embaciados, outros vívidos como a realidade. Nem sempre a imagem refletida condiz com o modelo, e aí surgem os enganos, para o bem e para o mal.


E segue o cortejo da vida, esse quarto de espelhos maluco.


Boa semana!

5 comentários:

Fábio Mayer disse...

Na fábula da Medusa, cuja face amarela e as serpentes no lugar dos cabelos não podia ser olhada senão por meio de um espelho, é mais ou menos isso que se quer dizer... a realidade muda conforme o ângulo de visão.

Leticia disse...

Plim-plim!

Kandy disse...

Eu adorei a foto! Você anda numa fase de questionamentos, não? Bom isso, filosofar sempre faz bem. Você ainda é mais otimista, porque afirma que "nem sempre a imagem condiz com a realidade". Para mim, a imagem nunca condiz com a realidade, porque sempre passa por algum filtro que cada pessoa carrega: valores, olhar, sentimentos, criação, despreparo e por aí vai. Talvez essa seja a graça, né? Se todas as imagens fossem vistas igualmente por todo mundo, não teríamos o que descobrir todos os dias...

Ana Ramon disse...

Sempre muito bonito aquilo que escreves e que nos deixa a reflectir mais um pouco.
Lembrei-me a seguir que havia um "scatch" humorístico na televisão portuguesa, onde se reuniam 4 alentejanos à volta de uma fogueira que iam falando de vários assuntos. Mas quando um deles punha um ponto final na conversa arrematando com qualquer coisa que ninguém estava à espera, os outros diziam em coro: Cabecinha pensadora!!
E assim me apetece dizer, depois de ler mais um texto teu :)))
Beijinho grande

Janaína Perez disse...

Noooooooosssssaaaaaaaaaaa!
Se vc soubesse como foi minha semana, as opções que tive q fazer, diria q o texto foi escrito para mim, rs...
Bj